Revista Entrevip

Revista Entrevip

A origem dos problemas e as soluções para cuidar das suas unhas

Segunda 24 de Abril de 2017

Por: Maria Cristina

Você têm alguma reclamação sobre a saúde de suas unhas? Confira abaixo as mais comuns e o que você pode fazer para manter as unhas sempre saudáveis e belas.

A origem do problema

Estrias e vincos: “Ressecamentos agudos e traumas na base das unhas são os maiores responsáveis pelos desníveis”, diz Adilson Rodrigues, técnico da marca Mavala. Outra razão possível é a deficiência de vitamina D e cálcio, bem comum em períodos como a menopausa e a fase idosa.

Unhas manchadas: Além do uso prolongado de esmaltes ­— lembre-se de retirar a cada sete dias —, o contato constante com nicotina também causa o efeito amarelado, conhecido como cromoniquia. Usar bases ajuda a prevenir o problema.

Fraqueza em excesso: A fragilidade das unhas é a reclamação mais comum nos consultórios. Para reverter o quadro, some aos cuidados tópicos a suplementação oral de minerais, como o ferro e o silício orgânico, e de vitaminas, como a B12 e a biotina.

Descamando? A mais abrangente das questões requer uma avaliação com detalhes. Entre as possibilidades estão infecções bacterianas e carências nutricionais. Se for um problema externo, lixas menos agressivas e bases fortificantes são eficazes.

Hábitos para adotar

Acostume-se a hidratar: Capriche nas camadas de cremes e óleos, aplicando-os com movimentos de massagem na superfície das unhas, principalmente no intervalo entre uma visita e outra à manicure.

Redobre a atenção ao prato: A deficiência da vitamina B12 e do ferro tem impacto na saúde das unhas. Enquanto a primeira favorece o amarelamento, a outra provoca enfraquecimento e quebra frequente.

Evite produtos químicos: Não é exagero: usar luvas para lavar a louça é um passo importante para manter as unhas fortes. Assim, você evita o contato de detergentes e outros ativos químicos que causam o ressecamento.

Controle os hormônios: Problemas nas unhas podem indicar de distúrbios na tireoide a alterações sistêmicas, como atopia (tendência a alergias) e psoríase. Procure um dermatologista para um diagnóstico e um encaminhamento adequados.

Fonte:estilo.abril.com.br

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.